4ª Revolução Industrial: escola em risco de extinção?

Novas tecnologias mudaram profundamente setores como varejo (e-commerce), transportes individuais (aplicativos como Uber) e hospedagem (sites como AirBnb). A educação não ficará isenta quem acha que precisa se preparar para as mudanças do futuro está atrasado: as mudanças já estão acontecendo na educação. “Gosto sempre de citar que Google e IBM não pedem diploma de Ensino Superior para contratar. O Ensino Superior já está sendo descartado”, afirma Ronaldo Casagrande, diretor da Alleanza Brasil e palestrante da Bett Brasil Educar. Segundo ele, o processo ainda vai se intensificar nos próximos anos.

Claro que as pessoas sempre vão precisar aprender e os professores continuarão a existir. Mas as instituições escolares terão de se renovar para se manterem relevantes como fonte de novos conhecimentos. “Há poucos anos, se você precisava de um hotel numa cidade que não conhecia, procurava uma agência de turismo. Hoje você vai direto. Esse processo, que chamo de “desintermediação” pode ocorrer com a escola”, explica Casagrande, que estudou o tema em seu doutorado.

Dessa forma, o gestor escolar em breve pode passar a ter como concorrentes diretos não apenas outras instituições escolares, mas outros tipos de serviço para se obter conhecimentos. “Temos o exemplo dos táxis, dos hotéis, que agora concorrem com produtos substitutos”, cita o executivo da educação.

Portanto, as próprias instituições escolares precisam reorientar suas práticas e formas de trabalho se quiserem ser as grandes responsáveis por educar as próximas gerações. As transformações devem se dar em todos os níveis, desde o papel do professor em sala de aula (ou até mesmo fora de sala), até a gestão escolar e das redes de ensino. Uma das formas de fazer isso é adotar a inteligência artificial e, assim, fazer parte da 4ª Revolução Industrial.

“Às vezes as pessoas têm medo, mas é preciso entender o que é a Inteligência Artificial. Não estou falando de um robô humanoide. Depois, devem pensar como ela pode ajudar e trabalhar junto com o professor e os gestores”, diz Casagrande. Para saber mais sobre o assunto, participe da palestra Os impactos da inteligência artificial no futuro da escola e da educação, no dia 17 de maio, às 10 horas. A inscrição pode ser feita aqui.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *